ONG Cão Viver

Blog Cão Viver

Adotei, e agora? Como educar um animal recém-adotado
Publicado em 15 de agosto de 2015

A decisão de adotar um animalzinho pode vir em vários momentos da vida. Muitos adotantes nunca tiveram um cão ou gato e, portanto, podem surgir dúvidas na hora de levá-lo para casa. E agora, por onde começar a adaptação? Veja algumas dicas.

No caso de animais filhotes, é preciso ter um pouco mais de paciência. Geralmente eles fazem xixi ou cocô em lugares diversos, e é um pouco mais difícil determinar o local. O ideal é, no caso dos cães, pegar as necessidades e levar para o local que você quer que seja feito. Quando o cachorro começar a sentir o cheiro e fizer no lugar certo, é só elogiar e dar um petisco. Os gatos, por sua vez, aprendem um pouco mais rápido, porque possuem caixinhas de areia e gostam de esconder as próprias fezes. Dessa forma, colocando as necessidades na caixinha ele irá aprender e também deve ser recompensado quando fizer no lugar certo.

Muitos cães adultos estão acostumados a fazer só no quintal (quando tiver um em casa) ou na rua, na hora de passear. Com os filhotes o passeio não é uma alternativa inicialmente, porque eles demoram um tempo até tomar as vacinas e poderem sair de casa. Passada a parte das necessidades, você terá que arrumar formas de repreendê-lo quando ele fizer algo errado, lembrando que agressão física é uma prática que nunca deve ser adotada! Além de existirem outras formas que não machuquem o animal, ele pode ficar arredio e com medo. No caso dos cães, arrumar uma lata ou algo que faça barulho, seguido do comando “NÃO!” em voz alta pode funcionar. É preciso ser firme nessa hora, para que o animal não ache que você está brincando. Arrumar um recipiente tipo “spray”, para esguichar no focinho também seguido do mesmo comando pode ser outra alternativa.

No caso dos gatos, a repressão é um pouco diferente. Gritos ou agressão não funcionam, eles ficam mais tristes, se afastam mais dos donos e respeitam ainda menos. É importante saber que o gato deve ser repreendido no ato da bagunça, depois não funciona e pode acarretar mais problemas. A técnica do borrifo de água também funciona nesse caso, mas não é preciso dizer nada, apenas borrifar a água no animal e sair. Outra técnica, é jogar chaves ou algo barulhento perto do animal na hora em que ele estiver fazendo a bagunça, perto, e não NO animal. Se ele não ver o dono é ainda melhor, porque ele associará a punição ao ato, e não ao dono.

É importante lembrar que os animais, assim como crianças, não aprendem da noite para o dia. Com o tempo e paciência o animalzinho irá se adequar à você e a à sua casa da melhor forma possível.

Fonte:
http://www.desfavor.com/blog/2013/01/desfavor-explica-educando-gatos/comment-page-1/

Autora: Nicole Alves

Sobre

O Blog da Cão Viver tem a intenção de trazer conteúdo informativo e dicas aos donos de pets e apoiadores da causa animal. Aqueles que já têm um animalzinho ou pensam em adotar, encontrarão semanalmente diversas informações, que vão desde dicas de saúde e comportamento, até discussões sobre as notícias mais recentes dentro do mundo animal. Boa leitura!


Busca

Últimos posts
Topo

Rua 1º de Maio, 165 - Bairro Braúnas - CEP: 32.186-429 - Contagem / MG
Visitas e adoções: 3a, 5a e 6a, das 14h às 16h; sábado, das 13h às 16h / Consultas: de 2ª a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 16h

2D Comunicação Impressa e Digital